<$BlogRSDUrl$>


Relaxamento 

Se já experimentou o yoga provavelmente acabou a aula com um exercício chamado Savasana (alternativamente: Shavasana ou Sarvasana ou Mrtasana ou Postura do Morto).
Ficamos deitados no chão de barriga para cima, com as pernas ligeiramente afastadas, braços ao longo do corpo e palmas das mãos viradas para cima. Solta-se o corpo todo, relaxam-se todos os músculos e permanece-se imóvel, o mais confortavelmente possível. Geralmente de olhos fechados, mas duma forma consciente e atenta, abstraimo-nos de qualquer pensamento negativo ou preocupação e levamos a nossa atenção para a voz do professor. Para facilitar a acalmia do corpo e da mente, além da música ou sons relaxantes, o ritmo lento imposto pelo professor através de técnicas respiratórias, induz-nos num relaxamento progressivo de todo o corpo, desde as unhas dos pés às pontas dos cabelos.
No final duma aula de yoga e após este exercício final, os pensamentos serenaram, a respiração flui de forma lenta mas mais profunda, a frequência dos batimentos cardíacos baixa, e há uma descarga de endorfinas.


"A endorfina é um neurotransmissor, assim como a noradrenalina, a acetilcolina e a dopamina, e é uma substância química utilizada pelos neurónios na comunicação do sistema nervoso. É uma hormona, uma substância química que, transportada pelo sangue, faz comunicação com outras células.

A denominação vem das palavras "endo" (interno) e "morfina" (analgésico).

As endorfinas foram descobertas em 1975. Foram encontradas 20 tipos diferentes de endorfinas no sistema nervoso, sendo a beta-endorfina a mais eficiente pois é a que dá o efeito mais eufórico ao cérebro. Ela é composta por 31 aminoácidos. A endorfina é produzida em resposta à actividade física, visando relaxar e dar prazer, despertando uma sensação de euforia e bem-estar.

Durante o orgasmo essa substância é libertada na corrente sanguínea, provocando uma intensa sensação de relaxamento no casal e alguns até adormecem após a relação.


Efeitos principais das endorfinas: Melhoram a memória; Melhoram o estado de espírito (bom humor); Aumentam a resistência; Aumentam a disposição física e mental; Melhoram o nosso sistema imunológico; Bloqueiam as lesões dos vasos sanguíneos; Têm efeito anti-envelhecimento, pois removem superóxidos (radicais livres); Aliviam as dores. (...)


O consumo de chocolate e pimenta também estimula a produção de endorfina. A endorfina também é libertada após aproximadamente 30 minutos de exercícios físicos aeróbicos, como por exemplo, uma leve corrida."




in http://pt.wikipedia.org/wiki/Endorfina




A sensação é de bem-estar, relaxamento mas também de mais energia. Sentimo-nos revigorados. O mais fanático dos praticantes de yoga ou meditação dirá que este método é uma 'droga natural'. Se, pelo contrário, é céptico relativamente a esta técnica corporal veja o que a ciência diz:

"Relaxamento é uma técnica que pretende restabelecer um equilíbrio psicotónico. As técnicas do relaxamento constituem um conjunto de procedimentos de intervenções úteis, não só no âmbito da psicologia clínica e da saúde, como também no da psicologia aplicada em geral e da psicanálise. Um dos métodos mais comuns de relaxação é a relaxação muscular progressiva introduzida por Jacobson em 1929. (...)


Trabalha-se ao nível muscular, de respiração, indução de repouso e exercício de peso.
Existem muitas técnicas de relaxamento todas com o mesmo objectivo, a de proporcionar a tomada de consciência sobre o próprio corpo e de ensinar o indivíduo a relaxar os músculos por vontade própria, através da percepção cognitiva do que é estar tenso ou relaxado. Muitas pessoas estão tão habituadas a um estado de tensão crónica que já não têm consciência deste facto. (...)


Uma vez adquirida uma certa prática, alguns minutos de relaxamento são suficientes para restaurar e reequilibrar a mente e o corpo. Quanto mais praticarmos exercícios de relaxamento, mais longa será a duração dos seus efeitos. Gradualmente, o estado de relaxamento torna-se parte da nossa personalidade, criando uma melhor eficiência e desempenho, além de melhorar a qualidade de vida em geral.

Indicações para relaxamento: indivíduos normais em qualquer idade, patologias com distúrbios psicomotores, deficiência intelectual, distúrbios da linguagem, por exemplo em gaguez ou dislexia, ansiedade, obsessão, distúrbio do sono, neuroses, psicossomática, tais como asma, colite, doenças cardiovasculares, e em reumatologia."



Leia tudo aqui

saúde. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2005. [Consult. 2005-04-04].
Disponível na www: http://www.infopedia.pt/$saude


Mesmo não sendo praticante de yoga pode - e deve - experimentar este método de relaxamento. Os benefícios serão mais intensos se o fizer no final de uma sessão de yoga mas funciona muito bem sempre que precisar de relaxar mesmo sem antes fazer qualquer outra posição de yoga. Necessita duns auscultadores e de 5 ou 10 minutos de privacidade para ouvir um destes exercícios:




EM PORTUGUÊS











EM INGLÊS













A bola de neve de efeitos começa na mente logo o sucesso deste exercício passa pela capacidade de concentração. Se conseguir atingir o pretendido, nas vezes seguintes bastará lembrar-se. O corpo aprende a activar este mecanismo anti-stress e podemos activá-lo simplesmente pensando nisso. Veja o que a ciência diz sobre a relação directa entre a capacidade de produzir endorfinas e o facto de pensar nisso:



"Pensar em analgésicos alivia a dor

Investigadores de Michigan analisam o papel das endorfinas




A simples ideia de tomar um analgésico basta para levar o cérebro a ordenar a secreção de substâncias que aliviam a dor, indica um estudo hoje publicado na revista médica norte-americana, Journal of Neuroscience, citado pela LUSA. Investigadores da Universidade de Michigan, liderados por Jon-Kar Zubieta, dizem ter provado pela primeira vez que as endorfinas, conhecidas como "os analgésicos do cérebro", desempenham um papel importante no chamado "efeito de placebo". (...)"



Leia tudo aqui



***dedicado a todas as pessoas que sofrem de cancro, nomeadamente às mulheres que enfrentam o cancro da mama, como a minha mãe.

Comentários:
(se não se quiser registar escolha o modo anónimo e pode assinar no próprio comentário)


Clique aqui para comentar






This page is powered by Blogger. Isn't yours?